Remédios para emagrecer e seus perigos

Remédios para emagrecer e os 7 perigos reais.

 

Você acha que precisa perder peso? Mas recorrer aos Remédios para emagrecer não são a melhor saída.

 

Remédios para emagrecer e os riscos escondidos por trás deles que você nem sempre presta atenção.

  1. Não há garantia.

Aqui no Brasil há muita polemica com relação à esses remédio que prometem milagres muitos tem suas vendas proibidas mas muitas pessoas recorrem ao meio ilegal para adquiri-los sem levar em conta os riscos que está correndo com relação à sua saúde.

  1. Eles podem aumentar o risco de você ter um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral.

O principal ingrediente em muitas pílulas para emagrecer são os estimulantes que foram encontrados e que podem aumentar o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. 

Muitas vezes, esses estimulantes são medicamentos de nível de prescrição que foram banidos do mercado, mas eles fazem o caminho de volta através dessas pílulas devido à má regulamentação dos remédios para emagrecimento.

(Meu testemunho à respeito: Eu tive um amigo de 34 anos que mesmo com orientação médica e seguindo à risca a prescrição médica como exames etc. tudo certinho foi vítima de um infarto fulminante devido ao efeito colateral do remédio.)

Confira nesse link  uma reportagem a respeito de uma morte por causa de medicamentos para emagrecer : morre jovem que usava remédio para emagrecer  da folha de São Paulo.

  1. Você pode se tornar um viciado.

Os remédios para emagrecer geralmente contêm anfetaminas, drogas anti-ansiedade e antidepressivas. Não só isso é uma mistura perigosa, mas essas drogas também são altamente viciantes.

  1. Você pode experimentar múltiplos efeitos colaterais.

Algumas pílulas contêm bloqueadores de gordura que diminuem a absorção de nutrientes e causam dor no estômago. Outros efeitos secundários relatados desses remédios incluem constipação, dores de cabeça e alterações de humor.

  1. As bulas estão cheias de declarações falsas.

Não acredite em todas as alegações que você lê nos rótulos dos remédios para emagrecimento. Em um relatório divulgado pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, uma análise de 127 remédios para emagrecimento (incluindo pílulas de perda de peso) descobriu que 20 por cento fizeram alegações ilegais sobre os rótulos afirmando que o produto curou ou tratou a doença.

  1. Eles são ineficazes.

Muitos desses remédio são simplesmente uma combinação de cafeína e outros diuréticos, que causam perda de água. Inicialmente, isso resulta em um número menor na escala, mas isso não é perda de gordura e o peso da água retornará. Além disso, a perda extrema de água devido a pílulas para perda de peso pode causar desidratação perigosa.

  1. Você não mudará seus hábitos.

A perda de peso a longo prazo requer uma mudança nos seus hábitos alimentares e a prática de exercício físico para adotar um estilo de vida mais saudável. 

Tomar uma pílula como um método de solução rápida não encoraja você a entender melhor como alimentos e exercícios afetam seu peso. É muito menos provável que verifique os rótulos dos alimentos, registre a ingestão de alimentos e ajuste seu exercício se você acha que um simples comprimido vai fazer o trabalho duro para você. 

Tomar comprimidos para sempre não é sustentável e, uma vez que você parar, você estará de volta aos seus maus hábitos e peso inicial.

 

Então talvez seja melhor você avaliar muito antes de entrar nessa de querer perder peso tomando remédios. Existem sim inúmeras maneiras de se perder peso com saúde sem esses efeitos colaterais e com resultados muito mais duradouros.

Lembre-se que tudo que é fácil de mais o “santo desconfia” não vale a pena colocar sua vida em risco por um falso emagrecimento que num piscar de olhos voltará a engordar novamente.

Gostou do artigo? Compartilhe com sua amiga(o) que anda com essa ideia de tomar remédios para emagrecer!